Vitor Vannozi Brito

Meu nome é Vitor (ou Perditina na Esalq) e atualmente estou no meu quarto ano de graduação em engenharia florestal. Durante meu ensino médio, eu fiz um curso técnico em meio ambiente e, como me interessei bastante pela área, queria prestar para o curso de
Meu nome é Vitor (ou Perditina na Esalq) e atualmente estou no meu quarto ano de graduação em engenharia florestal. Durante meu ensino médio, eu fiz um curso técnico em meio ambiente e, como me interessei bastante pela área, queria prestar para o curso de engenharia ambiental. Entretanto, acabei descobrindo, por meio do guia do estudante, a engenharia florestal e achei muito interessante. Assim, decidi prestar o curso que possuía, ao meu ver, matérias que me interessaram bastante. Também me interessei pelas possíveis áreas de atuação, em que eu pretendia seguir a área mais conservacionista (como a grande maioria das pessoas que entram no curso). Logo de cara no primeiro semestre, me encantei pela ESALQ e pelo ampla gama de possibilidades que a engenharia florestal nos oferece. No meu primeiro ano, sem conhecer nada, resolvi entrar no Grupo Florestal Monte Olimpo e foi uma decisão muito boa que fiz. Em questão de poucas semanas, eu já tinha tido contato com uma parte prática do curso, o que me encantou ainda mais. Além disso, a ampla área de atuação do GFMO, com foco na silvicultura, mas também com outros enfoques na área florestal me fez ter certeza que era o que eu queria fazer. A partir do GFMO, tive inúmeras oportunidades, podendo conhecer diversos lugares do país, incluindo Telemaco Borba, Três Lagoas e Tocantins, entre outros. Além disso, através do Grupo, consegui um estágio no IPEF e, a partir dele, apresentei um estudo, que foi selecionado para ir para a Rússia, em uma competição florestal internacional para jovens, que foi, certamente, uma experiência incrível. Além do GFMO, também pude participar de atividades práticas no estágio de férias de Itatinga, que penso que é importantíssimo para mostrar o leque de possibilidades que o curso nos oferece. Além das oportunidades que o curso em si nos oferece, a instituição ESALQ/USP também nos proporciona muitas coisas. Em 2015, fui um dos 10 selecionados para fazer parte de um programa de liderança desenvolvido pela Cargill, voltado para jovens de determinadas universidades (entre elas a USP), que me possibilitou participar de um seminário internacional em Minneapolis, nos EUA. Além disso, em julho de 2016, devido a uma parceria da Esalq, fui um dos selecionados para participar de um Summer School com duração de 3 semanas na Universidade de Ataturk, na Turquia, outra experiência inesquecível. Atualmente, por meio de um programa de intercâmbio do Banco Santander, realizei um dos meus objetivos acadêmicos e fui agraciado com uma bolsa de estudos de 1 semestre na Universidade Autônoma de Madrid, na Espanha. Sendo assim, só tenho a agradecer ao curso de engenharia florestal e à ESALQ por todas as oportunidades que recebi, que foram muitas. Por meio delas, tenho certeza que estou crescendo pessoal, acadêmica e profissionalmente para que possa fazer a diferença no setor florestal no futuro, retribuindo para a sociedade tudo o que aprendi e vivenciei ao longo desses anos de graduação
Intercâmbio
4º Ano Engenharia Florestal